Será que é possível estimular o hábito de guardar dinheiro desde cedo? Acreditamos que sim, pelo que criámos 9 dicas para o ajudar a implementar esse hábito nas crianças.

Tem que dar o exemplo!

Não dá para começar a falar em poupar sem dar o exemplo. Adultos são espelhos para alguém que ainda está a conhecer o mundo. Por isso, se quer ensinar os seus filhos, sobrinhos, alunos, ou crianças em seu redor sobre a importância de poupar, comece você mesmo a poupar. É importante que a família como um todo tenha consciência financeira e não se exceda nos gastos.

Explique que dinheiro não nasce nas árvores

É importante que, assim que a criança consiga ter um entendimento maior das coisas, explique que cada vez que compra uma coisa é preciso dar dinheiro em troca. E que esse dinheiro não cai do céu, pelo contrário, é fruto do seu trabalho e do seu tempo.

Dê uma mesada ou alguma outra forma de controle do dinheiro

É importante que a criança tenha algum dinheiro só dela para decidir o que fazer com ele. Pode ser uma mesada, uma semanada em dinheiro vivo, ou então um cartão. Pré-pagos, por exemplo, podem ser uma ótima forma de começar, pois já estabelece um limite e a criança controla via app, como a maior parte desta nova geração adora fazer.

Mostre que poupar pode ser bom

Se o dinheiro está disponível, porque razão é que uma criança vai querer que ele fique guardado e sem utilidade? É nesta hora que é importante que mostre que, se ela conseguir guardar uma parte daquele dinheiro por certo tempo, poderá usar para comprar coisas maiores. Coloque no papel e dê exemplos concretos. Vamos supor que ela ganha 100€ de mesada, ou 25€ por semana. Se conseguir poupar 20€, ou seja, 20% por mês, em 6 meses terá 120€, que pode ser usado para comprar algo que ela queira muito.

Mealheiros para os pequeninos

Para os mais pequenos, deve-se oferecer mealheiros divertidos para começarem a juntar. Estimule-os, inclusive, a guardar as moedas que estão espalhadas pela casa e as notas de menor valor que eles forem ganhando. Estabeleça uma data para abrirem juntos o mealheiro e peça para a criança ir pensando no que fará com o dinheiro.

Ensine a comparar preços

Na hora em que o dinheiro poupado puder ser utilizado para a compra de algo que a criança quer muito, mostre que não se deve comprar imediatamente sem pesquisa de preços. Há muitos sites que podem ajudar com uma pesquisa básica. Ensine a criança – se ela já souber escrever – a fazer uma lista e mostre que dá para pesquisar na internet ou directamente nas lojas. Se ela conseguir pagar menos em um determinado bem, conseguirá usar a diferença para outra coisa ou, ainda, para voltar a guardar.

Cuidado com crenças limitantes

O que falamos tem poder. Cuidado com algumas crenças que pode inserir nas crianças ainda que involuntariamente. Muitas pessoas não conseguem guardar dinheiro quando adultas porque ainda acreditam que “não vale a pena”, que isso é coisa de gente “forreta”, que “nunca vão conseguir juntar o necessário”, e etc.

Para ensinar uma criança a poupar, é necessário saber impor limites

Não adianta tentar ensinar a criança a poupar com a mesada se, por fora, você continua a dar tudo o que a criança pede. É preciso mostrar que não é possível ter tudo e impor limites. Explique que você mesmo também tem que cuidar do seu dinheiro assim como ela está a aprender a cuidar do dela.

Estimule a doação

Finalmente, vale a pena estimular a doação sempre que a criança comprar um brinquedo novo por exemplo. Mostre que poupar valeu a pena e sempre valerá, mas mostre que acumular não é algo bom e que o brinquedo antigo, que ela já não usa mais, pode fazer a alegria de muitas outras crianças que não ganham mesada e nem conseguem poupar como ela. Se for o caso, ajude a criança a separar periodicamente o que não usa mais e leve a um abrigo ou orfanato para darem juntos. Está nas mãos dos adultos de hoje ajudarem a criar um mundo melhor amanhã através das novas gerações!