Primeiro que tudo, já esteve perante um imprevisto e não conseguiu atenuar as consequências financeiras do mesmo? Com o Seguro de Acidentes Pessoais está mais protegido e evita certamente alguns dissabores financeiros relativos aos imprevistos.

Os imprevistos são inevitáveis e podem acontecer quando menos esperamos. Portanto, é importante estarmos prevenidos, de forma a conseguirmos atenuar os danos causados pelos mesmos. Neste artigo vamos falar do Seguro de Acidentes Pessoais e sobretudo porque razão deve fazê-lo.

Antes de o Professor Poupança lhe explicar com toda a certeza porque deve fazer este seguro, convém saber primeiro o que é, para que serve e ainda que tipos de seguros de acidentes existem. É obrigatório? Que vantagens tenho em fazer um seguro de acidentes pessoais?

Leia este artigo do Professor Poupança e saiba sobretudo porque deve fazer um seguro de acidentes pessoais ainda hoje.

Em primeiro lugar, o que é um seguro de acidentes pessoais?

Muito simples. É um seguro que lhe garante a proteção (a si e à sua família) perante as consequências de um acidente: quer tenha o mesmo acontecido na sua vida pessoal, quer profissional. Nesse sentido, a seguradora responsabiliza-se pelo pagamento de uma indemnização previamente estabelecida no contratado assinado por si.

Define-se como um acidente pessoal o acontecimento inesperado, do qual o segurado não tem culpa, uma vez que lhe causa danos na sua saúde física e/ou mental.

Em segundo lugar, para que serve o seguro de acidentes pessoais?

O principal objectivo de um seguro de acidentes pessoais é assegurar-lhe um apoio financeiro numa situação em que o seu rendimento sofra um desfalque devido a um acidente. Este tipo de seguros foi feito acima de tudo, com o intuito de ter um conjunto de coberturas que podem ser muito úteis na garantia da sua segurança financeira.

Em terceiro lugar, o que cobre um seguro de acidentes pessoais?

Cobre, por norma, as seguintes situações:

  • Morte: em caso de morte, como consequência de acidente, a seguradora garante o pagamento de um capital de compensação ao beneficiário, previamente acordado na apólice da pessoa segura;
  • Despesas de funeral: conforme a cobertura referida anteriormente, a seguradora pode atribuir-lhe um capital para o/a ajudar com as despesas do funeral da pessoa segura;
  • Incapacidade: caso sofra um acidente que o/a deixe incapacitado/a, a seguradora atribui-lhe uma compensação para o ajudar com os custos inerentes à invalidez;
  • Hospitalização por acidente: caso tenha um acidente e seja necessário ser hospitalizado/a, a seguradora ajuda-o/a com os custos de internamento e tratamento;
  • Despesas de tratamento: após sair do hospital, se for necessário continuar a receber algum tipo de tratamento médico pode contar com a ajuda total ou parcial da seguradora (dependendo do que foi previamente acordado).

Em quarto lugar, há exclusões no seguro de acidentes pessoais?

Embora este tipo de seguro cubra vários imprevistos, em contrapartida existem situações pelas quais a seguradora não se responsabiliza. Como por exemplo:

  • Cirurgias plásticas ou estéticas que não sejam o resultado de um acidente coberto pelo seguro;
  • Problemas de saúde com causa natural (ex: AVC, Enfarte do Miocárdio, etc.);
  • Despesas de estadia e tratamento em termas, casas de saúde e casas de repouso;
  • Suicídio;
  • Acidentes em veículos motorizados de duas rodas;
  • Prática de desportos perigosos;
  • Alterações no organismo provocadas por alcoolismo e/ou consumo de drogas/estupefacientes sem prescrição médica.

Por fim, e igualmente importante, este seguro, é obrigatório?

Por norma, não. Apenas o seguro de acidentes de trabalho é obrigatório. Conforme já pôde verificar neste artigo do Professor Poupança, ter um seguro de acidentes pessoais pode ser muito vantajoso. Não só porque é um apoio financeiro que ganha em ocasiões infortunas. Como também, é uma segurança que tem caso tenha despesas extra com as quais não esteja a contar.

Infelizmente, os acidentes acontecem diariamente e quando menos esperamos. Mesmo que sejamos mais responsáveis ou cautelosos. É devido a situações como esta que deve considerar fazer este seguro: para estar mais descansado/a perante um infortúnio.

Em suma, deve fazer um seguro de acidentes pessoais para eliminar parcial ou totalmente as consequências financeiras de um acidente. Porque é uma das melhores formas de garantir a sua segurança pessoal e a da sua família.

Com o intuito de lhe oferecer os melhores conselhos e dicas sobre seguros, descubra os 9 truques para poupar em seguros.