Arrendamento Jovem ou Crédito Habitação? É uma escolha que pode ser complicada, pelo que neste artigo do Professor Poupança vamos explicar-lhe tudo o que precisa de saber.

Quando chegamos a uma determinada idade começamos a sonhar com uma casa só nossa. É um sonho possível, mas, nos dias de hoje, pode não ser assim tão fácil de o concretizar. Principalmente para os jovens. É por isso que, neste artigo, o Professor Poupança vai explicar as vantagens e desvantagens das duas soluções que existem no mercado: arrendamento jovem ou crédito habitação.

Nesse sentido, vamos lá então perceber os pontos positivos e negativos de cada uma das soluções.

ARRENDAMENTO JOVEM: SERÁ A SOLUÇÃO CERTA PARA SI?

Quando falamos em arrendamento jovem falamos no programa do Estado português: o Porta 65 – Jovem. Trata-se de um sistema de apoio financeiro ao arrendamento feito por jovens, em família ou coabitação jovem, que promove a reabilitação de áreas urbanas degradadas e a dinamização do mercado de arrendamento.

Quem se pode candidatar a este programa?

Jovens entre os 18 e os 34 anos, que sejam titulares de um contrato de arrendamento para habitação permanente e que não usufruam, cumulativamente, de outros subsídios ou ajudas à habitação. Para além disso, o jovem não pode ser parente ou ter qualquer tipo de ligação ao senhorio assim como, não pode ser proprietário ou arrendatário de outro prédio ou fração habitacional. 

Como funciona?

Em síntese, se a candidatura for aprovada, o Estado comparticipa com uma determinada percentagem do valor da renda durante 12 meses. No entanto, o apoio pode durar no máximo 5 anos. Por isso, basta apresentar novamente a sua candidatura nos 5 anos seguintes, no período correspondente ao da primeira candidatura, para que continue a receber este apoio financeiro.

A candidatura é feita através do preenchimento do formulário eletrónico que está disponível no Portal da Habitação.

CRÉDITO HABITAÇÃO: O QUE PRECISA DE SABER

Embora seja mais complicado no início de uma vida a dois, o crédito habitação também é uma opção válida para quem quer ter a sua própria casa. Principalmente, tendo em consideração que já existem bancos com condições de crédito habitação vantajosas e atrativas para jovens.

O que é o “período de carência”?

Algumas instituições de crédito oferecem um “período de carência” durante os primeiros meses, ou seja, oferecem a possibilidade de pagar exclusivamente os juros do montante, o que torna a prestação mensal a pagar mais baixa. Este período de carência pode ser vantajoso caso pretenda mobilar e equipar a sua casa com tudo o que é necessário.

Em suma, o que deve fazer

Todavia, o mais importante é fazer bem a sua pesquisa e comparar todas as opções que tem em cima da mesa. Por exemplo, peça várias propostas de crédito habitação a todos os bancos que achar pertinente, analise-as bem e depois escolha aquela que é a proposta mais vantajosa para si e para a sua família. Tenha só em atenção que, se optar por fazer um crédito habitação para comprar uma casa, vai ter de fazer um seguro de vida. Se quiser saber mais sobre este assunto, leia este artigo do Professor Poupança.

Seja qual for a sua decisão – arrendamento jovem ou crédito habitação – é recomendável o aconselhamento de um profissional da área.

ARRENDAMENTO JOVEM OU CRÉDITO HABITAÇÃO: JÁ SE DECIDIU?

Concluindo, a opção de arrendamento jovem poderá ser a mais indicada para si caso não queira ter o “peso” de um contrato de compra de casa com um banco. Já a opção de crédito habitação pode ser uma escolha mais a longo prazo e já a considerar uma situação definitiva.

Escolheu o crédito habitação?

Saiba que, é possível fazer um crédito habitação com 100% financiamento, o Professor Poupança explica-lhe tudo.

Últimos conselhos

Independentemente da sua escolha – arrendamento jovem ou crédito habitação – é aconselhável que antes analise o que é mais vantajoso para si, e que invista todo o tempo necessário em pesquisa.