E

Esta é uma questão que muitos portugueses fazem. Neste artigo do Professor Poupança vamos explicar-lhe como pode reduzir a prestação do seu crédito de habitação.

Reduzir a prestação do crédito de habitação é algo que muitas pessoas tentam fazer de forma a conseguir aliviar o orçamento mensal. Por isso, vamos dar-lhe 6 dicas úteis que o podem ajudar a reduzir a sua prestação.

6 DICAS ÚTEIS PARA REDUZIR A PRESTAÇÃO DO CRÉDITO DE HABITAÇÃO

1. Alargar o prazo do empréstimo

Uma das maneiras que o/a pode ajudar a reduzir o valor da sua prestação do crédito de habitação é prolongar o prazo do seu empréstimo. Basta ir ao seu banco e renegociar os prazos previamente acordados.

No entanto, apesar de esta ser uma das soluções para reduzir a mensalidade do crédito habitação, a longo prazo esta opção aumenta os encargos globais do empréstimo. Isto porque quanto maior for o prazo do empréstimo menor será a prestação mensal.

2. Negociar o Spread

Esta é outra das soluções às quais pode recorrer para reduzir a prestação do crédito habitação. Explicando de uma forma simples, o spread é a margem de lucro que o banco ganha quando lhe empresta dinheiro para comprar a sua casa nova.

Caso seja necessário, pode renegociar o spread e baixar o seu valor junto do banco. Se não o conseguir fazer no seu banco atual pode sempre tentar transferir o seu crédito habitação para outro banco com um spread mais baixo, mas já lá vamos.

3. Amortizar o valor da casa

Este é uma das soluções mais difíceis de concretizar, visto que implica ter uma margem de poupança disponível. Contudo, esta é a forma mais eficaz de reduzir a sua prestação de crédito habitação.

Além de conseguir reduzir a sua prestação mensal, ainda consegue reduzir os juros e o valor do seguro de vida associado ao crédito. Apesar de esta ser uma ótima solução – para quem tenha essa possibilidade – convém sempre certificar-se junto do seu banco se não há custos adicionais relacionados com amortizações antecipadas. O Professor Poupança deixa-lhe a seguinte nota: não amortize o valor da casa de forma constante, visto que isso pode ser sinónimo de taxas adicionais.

4. Pedir um período de carência

Caso precise de aliviar o seu orçamento mensal familiar durante uns meses considere negociar com o seu banco um período de carência. O período de carência é uma alternativa disponível ao reembolso antecipado num crédito habitação, que lhe dá a possibilidade de jogar com o tempo e as quantias disponíveis.

Durante este período não amortiza capital do empréstimo, pagando apenas os juros relativos ao valor em dívida. Desta forma, a prestação a pagar durante este período é menor. No entanto, quando o período de carência terminar a prestação a pagar vai ser mais elevada, visto que durante este tempo não pagou a amortização de capital.

5. Consolidar créditos

Se, para além da prestação do crédito habitação, tem mais alguns créditos que tem de liquidar pode juntá-los numa única mensalidade. O crédito consolidado permite-lhe isto mesmo: agregar todos os empréstimos num só.

A vantagem?

Fica com uma única prestação mensal para pagar, que pode ser reduzida em mais de 50% e cujo prazo de pagamento pode ser maior. No entanto, esta é uma solução a curto prazo, pelo que o Professor Poupança aconselha-o/a a fazer as devidas contas e ver o que é melhor para conseguir reduzir a prestação do seu crédito habitação. Se é transferir o empréstimo para outro banco (por exemplo) ou consolidar todos numa única prestação mensal.

6. Transferir o crédito para outro banco

Antes de decidir transferir o seu crédito para outro banco pesquise e faça várias simulações. No entanto, transferir o crédito para outro banco é outra das formas para conseguir reduzir a prestação do seu crédito habitação.

Tem de apenas ter atenção às comissões que lhe podem ser cobradas para proceder à transferência do crédito. Daí ser tão importante pesquisar, analisar e estar realmente bem informado/a sobre o assunto.

Conclusão

Estas 6 dicas úteis para reduzir a prestação do seu crédito habitação que o Professor Poupança lhe deu são apenas algumas das várias soluções às quais pode recorrer.

Uma bastante viável é a de consultar um intermediário de crédito, de forma a conseguir escolher a melhor opção de acordo com as suas necessidades.