Saiba como poupar na ceia de Natal com algumas dicas simples e sem comprometer a noite de consoada em família (desde que com as devidas precauções contra o Covid-19).

O Natal não tarda e se quer poupar, evitar esquecimentos e preocupações que lhe pesam na carteira, comece já a preparar a sua ceia de Natal. Consiga a noite perfeita para reunir a família (com as devidas precauções), com bons petiscos e muita alegria, mas sem arruinar as suas finanças. Saiba como pode poupar na ceia de Natal.

1. Defina um orçamento

Estabelecer um limite para o que quer gastar é um bom começo para poupar na ceia de Natal.

Se tiver um teto máximo para respeitar, a tentação de ultrapassá-lo será menor e é mais fácil manter-se dentro do orçamento que definiu.

2. Antes de sair para as compras faça o menu

Decida o que vai servir (por exemplo, bacalhau, peru ou polvo), calcule o que vai precisar em função do número de pessoas, confirme o que lhe falta na despensa e compre apenas os ingredientes necessários.

E já agora não vá às compras com fome ou acaba por comprar uma ou outra coisa que não compraria caso estivesse com o estômago forrado.

3. Compare os preços

Esta regra serve para todo o ano, mas pode ser especialmente útil nesta época, em que os grandes retalhistas lançam várias campanhas de Natal para disputar a atenção do consumidor.

Consulte os folhetos que lhe deixam na caixa do correio ou faça pesquisas online. Hoje em dia, quase todos os supermercados e hipermercados têm loja online e, por isso, facilmente conseguirá comparar preços sem sair de casa.

4. Preste atenção às promoções

Fique de olho nas promoções e compre com antecedência tudo o que for possível como, por exemplo, bebidas, farinha, aletria ou ovos. Se encontrar carne, polvo ou bacalhau em promoção, compre e congele.

Ao planear tudo com tempo pode aproveitar as oportunidades que surgem ao longo do ano e ir comprando aos poucos. Certamente que quando chegar a hora vai poupar na ceia de Natal.

5. Faça tudo em casa

Com a correria a que já estamos habituados nestas alturas, é fácil sucumbir à tentação de já comprar tudo feito. Esta é, contudo, a pior estratégia quando se quer poupar na ceia de Natal.

Esqueça os alimentos pré-preparados ou o take-away que lhe poupa tempo mas não dinheiro. Além disso, não há nada melhor do que comida fresca e caseira.

6. Deixe alguns luxos de de lado

É verdade que a ceia de Natal é uma ocasião especial, mas já reparou na quantidade de comida que sobra nestas alturas e que ninguém teria notado se não estivesse na mesa?

Queijos e enchidos são deliciosos mas caros, além de que tiram o apetite para o prato principal. Se não quiser abdicar por completo deste produtos, pode simplesmente procurar opções mais em conta.

Ou então encontrar alternativas e escolher algo mais simples, como uma salada de tomate e azeitonas, uns ovos mexidos com pimentos ou uma sopa de legumes assados.

7. Aceite contribuições em géneros

Por que não pedir aos convidados para contribuir e trazer algo para a ceia? A sua mãe leva as batatas, o sogro o vinho, a aletria faz a avó, as rabanadas deixe com a sua tia e a sua irmã pode levar os legumes.

Além de poupar, este é o pretexto ideal para deixar os convidados brilharem com as suas especialidades únicas.

8. Opte por produtos locais

Se vive numa zona rural, pode valer a pena espreitar o mercado da vila ou mesmo falar com o vizinho que cultiva algumas hortícolas. Os preços são mais em conta do que no hipermercado e a qualidade é superior.

As feiras semanais também podem ter preços mais em acessíveis.

9. Escolha as marcas brancas

Sempre que possível, opte por produtos de marca branca. Poupe na farinha, no açúcar, na aletria e na canela para poder gastar mais um bocadinho no bacalhau e no azeite da ceia de Natal.

Há produtos em que não nota grandes diferenças, a não ser no preço, e outros em que vale a pena investir um pouco mais. Avalie cada caso e poupe naquilo que puder.

10. Corte na quantidade de doces

Sonhos, bolos de bolina, pudim francês, pudim Abade de Priscos, aletria, leite-creme, rabanadas, rabanadas de vinho, regueifa doce, pão de ló, bolo Rei, formigos, tronco de Natal… 

Precisa mesmo de fazer estas sobremesas todas? Pense de novo. A saúde e o seu bolso agradecem.

Fonte: Ekonomista