O cartão de crédito é atualmente uma ferramenta quase obrigatória. Quer seja por obrigação do banco (para baixar o spread do crédito habitação), quer seja pelas compras online, a verdade é que quase todos nós temos pelo menos um. Mas como o próprio nome indica, é um instrumento de crédito e como tal tem regras que devemos ter em atenção, ou o seu uso poderá sair-nos muito caro.

A funcionalidade mais conhecida dos cartões de crédito é a de fazer compras a crédito (online ou não), ou seja, mesmo que não tenha dinheiro na sua conta à ordem, pode fazer a compra e pagar depois, com prazos que variam entre os 30 a 50 dias. Outra funcionalidade, esta menos utilizada, é a do cash-advance, ou seja, levantamento de dinheiro, que terá de ser reembolsado na data e nas condições acordadas com a instituição emitente do cartão.

Relativamente às compras do mês, há quem opte por concentrar as mesmas no cartão de crédito, pois tem associado algum tipo de programa que lhe traz vantagens, como cashback (devolução de uma percentagem do valor das compras), a aquisição de milhas aéreas ou descontos em marcas.

Devo ter ou não um cartão de crédito?

Se utilizado corretamente, o cartão de crédito pode ser um meio de pagamento bastante inteligente. Por isso, ter ou não ter um cartão de crédito é uma decisão que depende da capacidade de gestão das suas finanças pessoais e do seu perfil. Ou seja, tem tendência para comprar mais do que o necessário? Sente que poderá perder o controlo do orçamento se as despesas não forem debitadas de imediato na sua conta à ordem? Ou, por outro lado, é extremamente disciplinado no controlo dos gastos e ganhos?

Avalie o seu perfil de consumo para perceber se esta é uma boa solução para si, até porque se falhar os pagamentos do cartão, as consequências podem ser negativas. Além de poder ficar com o seu nome comprometido na chamada “lista negra” do Banco de Portugal, colocando em risco futuras contratações de crédito.

Modalidades de pagamento do cartão de crédito:

Pode optar pela modalidade de:

Pagamento integral (a 100%) da totalidade do montante em dívida até à data limite, não ficando, assim, sujeito ao pagamento de juros;

Pagamento parcial na data limite, o que implica o pagamento de juros sobre o montante utilizado e não pago até essa data.

Quais as taxas de juro a que deve estar atento?

Sobre o pagamento dos juros, tenha particular atenção ao valor da TAEG (Taxa Anual Efetiva Global), uma vez que esta taxa inclui todos os encargos associados ao crédito (por exemplo, despesas de cobranças de reembolsos, juros, impostos, comissões, seguros obrigatórios e outros encargos). Quanto mais alta for esta taxa, maior será o valor que terá de pagar sobre o montante em dívida.

Como é determinado o limite de crédito do cartão (o chamado plafond)?

O plafond é o limite de crédito mensal do seu cartão. Antes de emitir um cartão de crédito, as instituições financeiras analisam o seu historial de crédito, assim como os seus rendimentos, de forma a determinar qual o limite de crédito mais adequado para o seu caso.

Se o seu Mapa de Responsabilidades do Banco de Portugal tiver registos de incumprimento, ser-lhe-á negada a emissão do cartão.

As boas práticas

Um dos principais cuidados que deve ter é pagar na totalidade o montante mensal em dívida. Assim, poderá usar o cartão, usufruindo do período de crédito, mas sem pagar os juros (tipicamente bastante altos).

Se escolher fazer todos os pagamentos com cartão de crédito, tente não ultrapassar os 50 por cento do valor do seu ordenado – mesmo que o plafond do seu cartão seja superior a este montante. Deixe uma boa margem de segurança quer para pagar as restantes contas mensais, quer para uma eventual poupança (por mínima que seja).

É recomendável ainda registar todos os pagamentos efetuados com o cartão. Esta é uma boa forma de não perder o controlo dos gastos e quão facilmente isto pode acontecer com um cartão de crédito. Ainda em relação a esta questão, opte por não ter mais do que um cartão de crédito. Este é um bom passo para evitar o sobre-endividamento.

Ao efetuar compras on-line, assegure-se que só utiliza o seu cartão em sites fidedignos para evitar ser vítima de fraude. Além disso, não divulgue dados sensíveis do cartão (por exemplo, PIN, data de validade, número de cartão e CVV2), mesmo que aparentemente solicitados por uma fonte legítima.