Avançou com o processo de consolidação de créditos? Saiba o que fazer com a poupança do crédito consolidado, veja as sugestões que o Professor Poupança tem para si.

Em casos de dificuldades financeiras, é provável que encontre na consolidação de créditos bancários uma solução eficaz, com o propósito de cumprir com todas as obrigações e, além disso, começar a poupar mensalmente. E é mediante este desafogo familiar que podem, sobretudo, surgir dúvidas sobre o que fazer ao dinheiro extra.

Todavia, se há alguma lição a aprender com o passado e com o motivo pelo qual teve de recorrer à consolidação de créditos é a de não gastar mais do que tem e, assim, controlar as despesas quando o dinheiro disponível não é tanto como gostaríamos.

É um cenário que lhe providencia vantagens imediatas, como por exemplo, aumentar o nível de poupança das famílias, reequilibrar o orçamento mensal e fazer uma melhor gestão das dívidas. Posteriormente, é natural que consiga poupar mais dinheiro e, como tal, a pergunta que se coloca é o que fazer com ele?

O que fazer com a poupança do crédito consolidado?

O que irá conseguir poupar depende sempre de cada caso e de cada situação. Todavia, há quem consiga obter uma poupança a rondar os 60%! Veja, então, as sugestões do Professor Poupança sobre o que fazer com esse extra.

1. Reequilibrar o orçamento familiar              

Começar o mês sem saber como irá conseguir pagar todas as contas ou dar resposta a algum imprevisto que aconteça é uma preocupação que poder passar a ser evitada com a consolidação de créditos. Assim, as contas passam a estar em dia e poderá ter momentos mais descontraídos e relaxados em família.

2. Criar um fundo de emergência

Ninguém sabe o que nos reserva o amanhã, visto que os imprevistos podem acontecer a qualquer pessoa, em qualquer momento. Por isso, o truque é estar o mais prevenido possível.

Assim sendo, após o processo de crédito consolidado estar resolvido, coloque uma parte do dinheiro que sobra de lado para simplesmente dar resposta a algo menos positivo que possa acontecer, seja um período de baixa médica, seja para substituir algum eletrodoméstico que avariou, para resolver algum problema no carro… Problemas comuns, verdade?

3. Amortizar

Com a folga financeira que vai obter, posteriormente, ao fim de alguns meses conseguirá ter de parte um valor simpático. Então, por que não utilizar uma parte para amortizar a consolidação de créditos?

Assim, poderá baixar a mensalidade mensal ou reduzir ao prazo de pagamento, mas, acima de tudo, estará a diminuir bastante o total de juros pagos.

Tenha apenas em atenção as informações que constam no contrato relativamente à amortização de créditos, visto que é um processo que pode acarretar o pagamento de comissões administrativas.

Saiba quais são os fatores a ter em conta na consolidação de créditos.

4. Fazer um seguro de saúde e/ou de vida

Atualmente, poder investir num bom seguro de saúde ou de vida é algo que todos devemos fazer, sempre que tivermos possibilidade. Acima de tudo, este serviço concede uma série de benefícios quer para as rotinas de saúde, quer para o caso de doenças ou lesões, permitindo, assim, obter respostas mais rápidas.

Da mesma forma, subscrever um seguro de vida permite preparar ou assegurar o futuro dos seus familiares em caso de morte do titular.

Para saber exatamente o que fazer, aconselhe-se junto de um especialista que lhe poderá dar os melhores conselhos sobre seguros.

5. Investir em produtos de poupança

Se deseja colocar a poupança a render, há vários produtos bancários de risco reduzido onde pode investir o dinheiro, como por exemplo: depósitos a prazo, títulos de tesouro ou até aplicações das seguradoras com capital garantido.

Com efeito, informe-se bem sobre as condições de cada produto e escolha o que mais se adequa ao seu perfil e expetativas.

6. Fazer obras de melhoria / recuperação

As casas não duram para sempre e, às vezes, é necessário fazer pequenas obras de melhoria ou recuperação. Como nem sempre é possível fazer o que é necessário, aproveite o momento em que passa a ter mais flexibilidade financeira e leve a cabo obras de que necessita.

Conte com um parceiro com experiência e com as melhores soluções qualidade/preço, aqui.

7. Criar poupança para os filhos

Se tem filhos certamente que se preocupa com o seu futuro, então, por que não começar a dar uma ajuda nesse sentido a partir de hoje? Pondere criar uma conta poupança em nome dos seus filhos para que, quando mais crescidos, toda a família possa ficar mais descansada.

Agora que já conhece as alternativas que o Professor Poupança selecionou para si, faça investimentos mais acertados e que vão com certeza, trazer uma melhor qualidade de vida para si e para a sua família.