Para que serve o seguro de casa? O que é? É obrigatório fazê-lo? Estas são algumas das várias questões que se podem colocar quando falamos deste tema.

Neste artigo, o Professor Poupança vai dar-lhe as respostas, de uma forma simples. Antes de mais, vamos perceber o que é o seguro de casa. 

O que é e para que serve o seguro de casa?

O seguro de casa – ou seguro de habitação – é um seguro cujo intuito é cobrir os riscos associados à sua casa. Quando se compra uma casa a crédito é indispensável fazer um seguro sobre o imóvel enquanto se pagam as prestações. Depois de liquidar este crédito pode dispensar o seguro embora não seja aconselhável.

Isto porque o seguro de habitação é uma garantia de que não sai prejudicado no caso de algum sinistro. Afinal de contas, o principal objetivo de fazer um seguro de casa é salvaguardar um imóvel perante danos que lhe sejam causados. Já diz o velho ditado: “Mais vale prevenir do que remediar”. O seguro de casa previne.

O seguro de casa mais aconselhado a ser feito é o seguro multirriscos, visto que, para além de incluir a cobertura em caso de incêndio (algo obrigatório para edifícios em regime de propriedade horizontal), ainda protege a sua casa perante outros danos que possam ser causados.

O que cobre o seguro de casa?

Há duas vertentes que o seguro de casa cobre: o edifício e o recheio. O edifício é referente ao bem imóvel em si e o recheio corresponde aos bens móveis, ou seja, os bens existentes na habitação.

Estas duas modalidades podem ser subscritas em conjunto ou em separado. E o que é tido em consideração em cada um deles? É isso que o Professor Poupança lhe vai explicar agora.

  • Cobertura do edifício – corresponde ao valor de reconstrução do imóvel que, por norma, é inferior ao valor de mercado visto que o terreno não entra na equação da cobertura. Outros fatores que não entram nesta equação são os de valorização do imóvel (ex: proximidade de transportes públicos e/ou zona comercial). Se quiser saber qual é o valor de reconstrução por metro quadrado do seu imóvel pode recorrer a simuladores online ou falar com um profissional da área que o ajude com estas questões.
  • Cobertura do recheio – corresponde ao valor de substituição de todos os bens existentes no imóvel (ex: móveis, eletrodomésticos, roupa, loiça). Caso seja inquilino tem ainda direito ao valor correspondente às melhorias que tenha realizado no imóvel (ex: obras). Neste caso, não há nenhuma fórmula ou equação para calcular o valor dos seus bens, pelo que é importante ter sempre faturas de, por exemplo, eletrodomésticos guardados. Os objetos especiais – como jóias ou antiguidades – devem ser valorizados individualmente na apólice, visto que, por norma, as seguradoras indemnizam até 1500€ por objeto (mesmo que o seu real valor seja superior).

Seguros de casa multirriscos: o que lhe oferecem

Todos os seguros de casa multirriscos oferecem-lhe cobertura em várias situações, sendo algumas delas as seguintes: incêndio, queda de raio ou explosão; danos por água; furto; tempestades; inundações; privação temporária da habitação, demolição ou remoção de escombros; aluimento de terras; riscos elétricos.

Em caso de morte/invalidez do segurado ou respetivo cônjuge em consequência de incêndio, queda de raio, explosão ou roubo (ocorrida na habitação), também lhe é garantida cobertura. É ainda assegurada a responsabilidade civil do segurado e respetivas pessoas do seu agregado familiar caso seja necessário indemnizar terceiros por danos causados.

Por fim, o Professor Poupança deixa-lhe ainda uma nota relativamente ao seguro multirriscos. Por norma, este seguro é exigido pelos bancos caso pretenda recorrer ao crédito habitação para comprar um imóvel.