Se está a pensar na possibilidade de transferir o seu crédito habitação. deve ter em conta alguns fatores, para poder avaliar o que fazer. O Professor Poupança explica-lhe quais os aspetos a considerar na transferência do crédito habitação.

Afinal, com a conjuntura atual é possível termos bancos que apresentem melhores condições de financiamento, logo, esta é uma boa oportunidade para conseguir, assim, baixar as prestações mensais.

Ainda assim, conhecer melhor todo o processo é fundamental para tomar a decisão certa para si, para a sua família e, claro, para as suas finanças.

E não se preocupe, porque não perde mesmo nada em solicitar algumas simulações. Aliás, de acordo com o artigo 3º do Decreto-Lei 171/2008: “Às instituições de crédito está vedada a cobrança de qualquer comissão pela análise da renegociação das condições do crédito, nomeadamente do spread ou do prazo da duração do contrato de mútuo.”.

Quais os aspetos a considerar na transferência do crédito habitação: 6 dados a não esquecer

Em primeiro lugar, há algo que deve considerar: ter do seu lado uma equipa de intermediação de crédito é, por conseguinte, a melhor forma de encarar todo este processo, visto que terá ao seu dispor o conhecimento e experiência de especialistas. É esta equipa que irá ajudá-lo em tudo o precisar: desde a esclarecer dúvidas, até a avançar com o processo de transferência de crédito habitação, se assim for a sua decisão.

Atente, então, aos fatores a ter em conta.

1. Situação financeira atual

Compreender a sua situação financeira é o ponto de partida de qualquer solução de poupança, incluindo a transferência do crédito habitação. Assim sendo, há algo a reter neste campo: quem não se encontrar numa situação financeira estável poderá não ver concretizadas as mudanças desejadas.

Saiba como pode poupar se transferir o crédito habitação.

2. Condições atuais do crédito habitação

Só compreendendo bem as características do seu crédito habitação poderá perceber se compensa ou não mudar de banco.

Nesse sentido, há vários aspetos a considerar: taxa de juro, spread, prazo de pagamento, valor mensal e custos adicionais, que, aliás, incluem produtos e/ou serviços contratados, como por exemplo, o seguro de vida, o seguro multirriscos ou outros produtos como cartões de crédito.

Da mesma forma, deve procurar saber qual o valor de mercado da habitação, bem como o valor total em dívida.

3. Taxas de juro

Taxa Anual Efetiva Global (TAEG) e EURIBOR – o indexante utilizado em Portugal para a taxa de juro variável – são termos que lhe devem ser familiares ao considerar a transferência do crédito habitação.

Não só o que paga com o contrato atual, mas também o que irá pagar na potencial mudança de banco.

Saiba o que precisa de fazer para transferir o crédito habitação.

4. Spread

Nos últimos tempos, são muitas as instituições financeiras que têm vindo a reduzir o spread associado ao crédito habitação. Como resultado, consegue-se uma mensalidade mais baixa, o que permite uma poupança a curto prazo.

Este é, então, um fator que ajuda a avaliar a transferência do empréstimo da casa, principalmente se encontrar proposta de outro banco que ofereça, por conseguinte, uma taxa mais baixa.

5. Produtos e serviços associados

Para conseguir um spread mais baixo, no momento da contratualização do crédito habitação, provavelmente contratou outros produtos ou serviços da instituição bancária, principalmente, seguros, cartões de crédito ou até a abertura de contas-poupança.

Dessa forma, no momento atual, deve avaliar esses mesmos custos, de modo a obter uma resposta à questão: “a bonificação vale mesmo a pena ou consigo encontrar melhores condições?”

6. Custos de transferência

A transferência do crédito habitação poderá ter custos associados, nomeadamente o pagamento da comissão por reembolso antecipado, que, na generalidade dos casos, se situa entre os 0,5% e os 2% do valor em dívida, dependendo se o seu crédito atual possui taxa variável ou taxa fixa, assim como os custos com novas escrituras e até avaliação do imóvel.

De facto, alguns destes custos podem ser pesados e, em consequência, levantar mais dúvidas sobre qual a decisão certa a tomar. Todavia deve ter em atenção que muitas entidades bancárias desenvolvem campanhas promocionais, precisamente para angariação de novos clientes, nas quais se isentam estas comissões ou onde os bancos suportam parte ou a totalidade dos custos de transferência.

Simulação, aspeto a considerar na transferência do seu crédito habitação

Uma grande decisão que implica tempo de pesquisa, assim como o esclarecimento de várias informações de modo a saber bem o que fazer. As simulações online ajudam nesse sentido. Como tal, comece já hoje a pensar em como pode poupar amanhã.

Faça aqui a sua simulação: estou a pagar muito pelo meu crédito habitação?