Muitas pessoas podem pensar que a máquina de lavar loiça gasta mais água do que deveria, ou que é melhor lavar os pratos no lava-loiça do que numa máquina. Por vezes não é sempre assim…

O momento económico que vivemos reforçou a importância de não se desperdiçar dinheiro, por isso, trouxemos algumas perguntas, cujas respostas podem surpreendê-lo.

Tome nota do seguinte: por vezes um aparelho que é mais novo e mais caro trás determinadas tecnologias que ajudam a poupar no dia-a-dia e por isso, acabam por compensar a médio/longo prazo. Existem novas tecnologias incorporadas em aparelhos que ajudam a baixar a fatura da água, luz, alimentos, assistência técnica e, até mesmo, economia de tempo.

A “magia” do inverter

A abertura e fecho da porta do frigorífico pode significar um maior consumo de energia no final do mês, assim como ligar e desligar o ar condicionado a toda a hora é um “vilão” nos meses mais quentes do ano. Em ambos os casos, ligar o motor que faz a refrigeração, seja a partir do interior de um frigorífico ou de uma sala, é a razão para o consumo elevado.

Uma solução para este problema é procurar equipamentos que tenham o chamado “inverter”, que mantém sempre o motor a uma velocidade mínima.

No caso do ar condicionado, as métricas de poupança registadas por diferentes empresas são significativas. O uso do “inverter” significa um gasto até 50% menor, enquanto a Whirlpool aponta para esta funcionalidade como responsável por uma poupança de 60% em comparação com os dispositivos que utilizam o modo tradicional.

Esta funcionalidade também está presente nos frigoríficos e, até, nas máquinas de lavar. Nestes casos, as poupanças não são tão significativas como no caso do ar condicionado, mas fazem a diferença. Estamos a falar de uma poupança de 28% para os frigoríficos e de 20% para as máquinas de lavar.

Menos água, menos gasto

Por falar em máquinas de lavar, tanto as de roupa como as de loiça evitam o desperdício de água e, consequentemente, uma fatura mais alta. Poupam seis vezes mais do que lavar à mão, 27 mil litros de água por ano. No caso das máquinas de lavar roupa, esta poupança de água pode significar uma quantia extra no seu bolso no final do ano. De acordo com os dados das empresas, trata-se de equipamentos que, uma vez adquiridos, ficam em casa durante sete a 10 anos, em média, mas em quatro anos a máquina já se “pagou a si própria”.

Atenção à etiqueta energética!

Se estiver em dúvida entre dois aparelhos domésticos, o rótulo energético é uma referência que deve ser observada. Esta indicação destaca os produtos com melhor rendimento e eficiência energética. As diferenças de eficiência na classe A e superiores podem ser muito significativas, com os produtores da classe A+++ a consumirem até 30% menos do que um produto de classe A, ou mesmo 60% no caso dos aparelhos de refrigeração.