Se perguntarmos a uma audiência de pessoas quem é que se quer reformar mais cedo, temos a certeza de que mais de 90% das pessoas o deseja. No entanto, entre o querer e o fazer, existe uma grande diferença. Apenas com planeamento e poupança se consegue atingir um objetivo como este. Estas nossas dicas vão encaminhá-lo para esse objetivo!

Criar um complemento de reforma

Todos sabemos que o sistema da Segurança Social está comprometido, com anualmente mais pessoas a beneficiarem dele do que a contribuírem. O mais provável é que, para que se mantenha sustentável, as reformas diminuam. Assim, é importante jogar pelo seguro e criar uma alternativa, um complemento de reforma, para que possa viver mais confortavelmente na velhice.

Comece a poupança o quanto antes

É essencial começar a poupar o quanto antes, especialmente se se quiser reformar muitos anos antes do normal. Lembre-se que ao longo da vida vai ter outras prioridades, como a educação dos filhos, casa, carro e outras obrigações, pelo que para poupar terá de ter uma disciplina extra.

Os PPR são uma boa forma de economizar, tendo em conta um objetivo de longo prazo e sem um esforço demasiado grande para o dia-a-dia.

Calcule quanto vai precisar na reforma

Para saber quando precisa de poupar, precisa igualmente de saber quanto irá gastar durante a sua reforma. Lembre-se de que quanto mais cedo se reformar, mais cedo deixará de entrar dinheiro.

Faça a conta aos anos que poderá viver e quanto precisará por mês ou ano para viver confortavelmente. Não se esqueça de que com a idade, os cuidados com a saúde aumentam e consequentemente os gastos com a mesma. Tenha isto em atenção quando analisar a sua necessidade de poupança.

Avalie o impacto das penalizações

Se antecipar a reforma, irá sofrer penalizações na sua reforma da Segurança Social. O valor pode ir mudando, mas neste momento são 0,5% por cada ano que falta para a idade legal da reforma. Várias circunstâncias podem condicionar o valor da reforma, como a idade exata, o número de anos de descontos, o tipo de profissão e o regime profissional.

Utilize o simulador da Segurança Social para saber o valor exato da sua reforma com as penalizações.

Aprenda a rentabilizar o seu dinheiro

Pode acontecer que poupar não seja suficiente e que precise mesmo de multiplicar o dinheiro da poupança. Para isso, vai necessitar de aplicar o dinheiro da poupança para que seja rentabilizado.

Existem produtos financeiros, como os fundos de investimento ou seguros que lhe garantem boas rentabilidades. Pode também arrendar ou alugar bens que tenha como casa ou carro, para daí obter uma renda adicional.

No entanto tenha atenção aos investimentos que faz e ao risco inerente que lhe podem trazer. Pior que não rentabilizar o dinheiro da poupança, é mesmo reduzi-lo e assim arruinar os seus planos de reforma.

Elimine os créditos

Se tiver um crédito habitação, faça um esforço extra para liquidar o quanto antes essa dívida. Enquanto tiver despesas fixas elevadas, será difícil antecipar a reforma e os créditos são normalmente uma das obrigações mensais mais pesadas.

Escolha o melhor timing para se reformar

A não ser que seja rico, deixar o seu emprego de um dia para o outro não é opção. Daí a necessidade de poupar desde cedo. Para se reformar mais cedo tem de planear o melhor momento para deixar de trabalhar. Se tem filhos, por exemplo, considere a altura em que eles acabarão os estudos e poderão tornar-se independentes.

Prepare-se emocionalmente para a reforma

O ser humano está desenhado para estar ativo. A reforma é, regra geral, a antítese disso. É importante, por isso, estar muito seguro de que quer deixar de trabalhar e preparar-se emocionalmente para uma fase diferente da sua vida. Vai deixar de ter o convívio com os colegas de trabalho, a realização profissional, o ritmo que tinha. Leve tudo isso em consideração para estar preparado para o que aí vem e combater a monotonia.

Planeie novas aventuras e atividades

Muitas pessoas quando se reformam sentem-se inúteis e deprimidas. No entanto, a reforma não tem que significar estar sentado em frente à televisão o dia inteiro. Quando bem planeada, a reforma pode até significar enriquecimento pessoal e intelectual. Pondere voltar a estudar, fazer voluntariado, viajar ou até trabalhar em part-time em algo que lhe dê prazer fazer.

Saiba gerir o seu dinheiro na reforma

Calcular bem o dinheiro que vai precisar durante os anos de reforma é meio caminho andado, mas tem também que saber gerir bem o seu dinheiro para que dure durante todo o período de reforma. Os princípios de poupança e boa gestão financeira devem, portanto, manter-se. Tente gerir os seus fundos de forma a resgatar apenas o necessário anualmente.