Transferir o crédito habitação é algo que pode ajudar a reduzir os seus encargos mensais. Descubra como transferir o crédito habitação: passo a passo, através dos conselhos que o Professor Poupança tem para si.

Antes de mais nada, há que estar atento às condições oferecidas por outros bancos e fazer as contas. Além disso, a lei está mesmo do lado dos clientes: o Decreto-Lei n.º 171/2008 foi inclusivamente criado com o objetivo de “eliminar obstáculos comerciais à renegociação das condições dos empréstimos, nomeadamente do spread ou do prazo da duração do contrato de mútuo, e reforçar as condições de mobilidade destes empréstimos.”

Transferir o crédito habitação: passo a passo

Para levar a cabo a transferência do crédito habitação deve primeiramente analisar as condições que estão a ser oferecidas e compará-las com as do seu empréstimo atual – afinal, só assim compreenderá se a mudança é realmente vantajosa.

Veja, então, todas as dicas para saber como pode transferir o crédito habitação.

1. Situação financeira

Em primeiro lugar, o que deve reter é algo tão simples como: quem não tiver uma situação financeira estável poderá não conseguir transferir o crédito habitação.

Nesse sentido, há aspetos a ter em conta, como, por exemplo, não ter uma taxa de esforço superior a 33% dos rendimentos do agregado familiar.

Quer começar já hoje a poupar no seu crédito? Preencha o formulário e conheça as melhores soluções.

2. Custos de transferência do crédito

Enquanto analisa as opções disponibilizadas pelos diferentes bancos, não se pode esquecer que deve contar com os custos de transferência relacionados com a mudança de crédito, geralmente administrativos, visto que nem todos os bancos assumem essa despesa.

3. Transferência de crédito

O terceiro passo diz, assim, respeito à transferência propriamente dita. E, neste campo, como tal, poderá agir de duas formas diferentes: optar por tratar de todo o processo sozinho ou recorrer a um intermediário.

Para saber o que fazer, conheça, então, melhor cada uma das opções.

Renegociação do crédito habitação: quanto terá de pagar?

3.1 – Transferência a título pessoal

Esta opção exige tempo e paciência. Pode começar por fazer simulações online, onde lhe serão solicitados diferentes documentos, como por exemplo: documento de identificação, comprovativo de morada, IBAN, última declaração de IRS e respetiva nota de liquidação, últimos três recibos de vencimento, últimos três meses de extratos bancários; cópia da escritura do imóvel sobre o qual incide o crédito e Mapa de Responsabilidades de Crédito do Banco de Portugal.

Em seguida, atente bem aos dados que lhe serão apresentados: prazos, tipos de taxa, frequência de revisão da EURIBOR, assim como, venda de produtos financeiros, como seguros de vida ou multirriscos.

Para poder chegar a uma decisão, contabilize os gastos que poderá ter com a transferência do crédito habitação na instituição onde tem o empréstimo. Afinal, terá de pagar a comissão por reembolso antecipado, cuja taxa pode variar entre 0.5% e 2% do valor em dívida.

Por outro lado, poderá também ainda ter custos na instituição bancária para onde pretende transferir o crédito, principalmente: comissão de abertura de processo, comissão de avaliação do imóvel, custos de solicitadoria, custos com registos e emolumentos notariais.

No final, quando escolher o cenário que lhe é mais favorável, e dar, assim, seguimento à transferência, deve solicitar ao banco para onde quer transferir o crédito habitação que dê início ao processo.

3.2 – Recorrer a um intermediário de crédito

Se não tem tempo nem paciência para todo este processo, então, o ideal será consultar um especialista que poderá avaliar o seu crédito atual e esclarecer todas as dúvidas que possua e ajudar a chegar ao resultado pretendido.

Veja como pode reduzir a prestação mensal do crédito habitação.

4. Informar o banco

Assim que consiga a aprovação da transferência desejada, deve informar a instituição financeira que detém o crédito na atualidade – ou a entidade que o estiver a ajudar no processo – no mínimo com dez dias úteis de antecedência, visto que só após o cumprimento deste formalismo, o processo poderá, portanto, avançar.

O Professor Poupança deixa ainda um último conselho: para que tudo decorra o mais rapidamente e comece a poupar o quanto antes com a transferência do crédito habitação, disponibilize todas as informações e documentos solicitados com a maior brevidade possível.